Mônica Vianna

São Paulo/SP

Arte em Tempos de Corona Vírus

Pensar na situação inusitada de confinamento e de restrições de várias ordens que a pandemia COVID - 19 trouxe para a população mundial traz à tona muitos medos. Existe, é claro, o receio da morte dos entes queridos e de si mesmo, mas parece também haver um pânico pela incerteza do amanhã. O que haverá depois do coronavírus? Como seremos transformados?O pânico assusta e, com ele, vem o desejo de fugir para um utópico lugar seguro e o desejo de que 2020 simplesmente deve ser esquecido e pulado, como se nunca

tivesse existido. Essa atitude de negação não parece ser um caminho mentalmente saudável. Enfrentar o que se vivencia é a melhor trajetória – e a arte desempenha um papel essencial nesse processo.

A tela intitulada "Nunca perca a Esperança. Quando o Sol se põe, as estrelas aparecem", de Monica Vianna, possibilita justamente interpretar o momento de crise como de transformação. Um simples exemplo é que, nos momentos em que tudo parece mais caótico, sinceras solidariedades vêm se manifestando.

A maneira como a artista se vale da expressividade das manchas e da presença das cores intensas instaura um universo gestual em que o quadro evoca uma possível mutação. A inquietação que a artista gera em seu trabalho mobiliza nossos demônios internos e constitui um caminho que pode levar para a luz, mesmo que pareça que estamos imersos nas trevas.

Oscar D´Ambrosio

 

  • Facebook Clean